que se receba o João Salaviza em ombros, que se volte a pôr uma bandeira portuguesa em cada espelho retrovisor, que ninguém durma até João Salaviza aterrar em Figo Maduro (por haver milhares de pessoas na Portela).

Menos do que isto e passo a considerar oficialmente que não merecemos a sorte de haver por cá tanta gente talentosa.

Anúncios