Parece-me que quem decide estas coisas do IVA (e não só estas, mas isso são outros quinhentos) não está interessado de facto em saber o que é de primeira necessidade nem procura deste modo estimular consumos saudáveis que não pesem depois no sistema nacional de saúde.

5% ou lista de bens de primeira necessidade:

Fruta, hortaliça, leite, ovos, iogurtes, queijo, pescada, refrigerantes com gás, paté de vegetais, ruffles.

12% ou lista de coisas não tão importantes assim:

Vinho, café, presunto, chouriço.

20% ou lista de coisas dispensáveis que só compramos porque não temos que fazer ao dinheiro:

Cereais integrais sem acúcar, comida para gato, uísqui, champô, pasta de dentes, limpa-móveis, miolo de camarão.

Que faz a pescada na primeira e o camarão na última? Que fazem os refrigerantes, o paté e as batatas fritas na primeira lista? Porque é que os enchidos estão na segunda e o queijo na primeira? Porque é que os iogurtes potencialmente cheios de corantes, conservantes e açúcares estão na primeira e os cereais integrais-tipo-comida-de-coelho-como-diz-o-guloso-cá-de-casa estão na última? Que faz a pasta dos dentes na mesma lista do limpa-móveis?

Anúncios